Igrejas
Igrejas


IGREJA DA SÉ


Localizada à Av. Pedro II
É a catedral do Estado e seu altar-mor é tombado pelo Patrimônio Histórico. Foi construída pelos jesuítas no ano de 1762 em homenagem a Nossa Senhora da Vitória que, de acordo com a história, a Santa apareceu, na Batalha de Guaxenduba, para proteger os portugueses, que estavam em minoria, e lutavam para expulsar os franceses das terras maranhenses.



IGREJA NOSSA SENHORA DO CARMO


À Igreja e ao Convento de Nossa Senhora do Carmo ligam-se diversos episódios da história maranhense, sendo o principal deles, o da expulsão dos holandeses, em 1643. Batidos no interior, os prepostos de Nassau pretendiam organizar a resistência em São Luís, mas tiveram no Convento do Carmo a inexpugnável fortaleza donde partiram decisivos bombardeios contra o Forte de São Filipe e onde os combatentes portugueses e os nativos encontraram abrigo, sustento, armas e munições. Ferido em combate, aí faleceu o bravo Antônio Muniz Barreiros Filho, ex-capitão-mor do Maranhão. Mas a firmeza dos carmelitas, sua assistência aos feridos, seu conforto espiritual e suas palavras de encorajamento muito contribuíram para que o líder morto tivesse no sargento-mor Antônio Teixeira de Melo o indispensável sucessor no comando de uma campanha, em que houve muita determinação e bravura. Os atuais Convento e Igreja do Carmo têm muito pouco da construção original, a começar pela fachada que, tudo indica, não ser a primitiva e que revestiram de azulejos em 1866.


O convento, principalmente, sofreu modificações descaracterizadoras que lhe impuseram seus novos ocupantes e proprietários, os capuchinhos. Por exigências do plano urbanístico em execução, a Igreja e o Convento do Carmo sofreram diversas modificações, como o corte das sapatas e do calçadão saliente que davam para a Rua da Paz. Essa demolição, prevista desde 1902, foi realizada em 1932. De data posterior é a redução do adro, cuja escadaria fronteira foi substituída pelas laterais.



IGREJA NOSSA SENHORA DE SANTANA


Localizada à Rua de Santana – Centro

Construção do século XVIII. Predominantemente neoclássica, conta com motivos barrocos. Atrativos especiais são os azulejos portugueses e um painel de admirável beleza e em bom estado de conservação.



NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DOS PRETOS


Rua do Egito - Centro
Construída por iniciativa da irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, com a ajuda de devotos de toda parte. Em 1772 a igreja foi restaurada, e mais tarde seu altar-mor recebeu a imagem de sua santa padroeira. Suas paredes laterais são revestidas por azulejos que formam belíssimos painéis.



IGREJA NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS

 

Situa-se à Praça Gonçalves Dias – Centro
A única igreja de São Luís com influencias do estilo gótico, destaca-se das demais que são remanescências coloniais. Famosa e imponente datada de 1719, hoje acolhe em seu altar a imagem de Nossa Senhora dos Remédios, que era consagrada em uma linda festa tradicional, que permanece na lembrança dos que tiveram o privilégio de participar dela.



IGREJA SANTO ANTÔNIO


Sua localização é a Rua Padre antonio Veira - Centro
A capela data de 1624, construída por Frei Cristóvão de Lisboa, que chegado de Pernambuco encontrou em ruínas o antigo convento de São Francisco, edificado em 1612, pelos capuchinhos franceses que foram expulsos. Foi nesta capela que Antônio Vieira dissera o célebre “Sermão dos peixes”. Quando a igreja de Santo Antônio foi construída, os franciscanos doaram à capela a Irmandade do Bom Jesus dos Navegantes.



IGREJA SÃO JOÃO


Está situada ao Cruzamento da Rua da Paz com a Rua São João – Centro

Construída por um ilustre Governador maranhense Ruy Vaz Siqueira, no ano de 1665. Sua construção tem um motivo muito curioso, pois o Governador, que era apaixonado por uma mulher casada e temia um escândalo fez uma promessa à São João Batista: se o romance nunca fosse descoberto ele mandaria construir esta igreja. 
Deduz-se então, que este romance permaneceu em segredo, dando à cidade este belo exemplar da arquitetura neoclássica, reconstruída em 1934, traz em sua fachada as indicações: 1665 – SANCTI JOANNIS BAPTISTA ECCLESIA, como na construção original.



IGREJA SÃO PANTALEÃO


Localizada à Rua São Pantaleão – Centro

A antiga igreja de São Pantaleão teve sua primeira pedra de construção lançada em 1780 sob o interesse dos ilustres maranhenses, Pantaleão Rodrigues de Castro e Pedro da Cunha. 
É famosa por suas festas religiosas, como a de Nossa Senhora de Guadalupe e a de Santa Severa, festejo solene de muita importância para a cidade. 
Mas a maior curiosidade desta igreja fica por conta da “Roda”ou “Casa dos excluídos”, que desde 1829 acolhia os filhos de mães solteiras, hoje desativada



IGREJA DE SÃO JOSÉ DO DESTERRO


Atualmente, abriga um museu de Artes Sacras. É a mais antiga igreja da cidade e o único prédio histórico do Brasil que ainda tem traços da arquitetura bizantina.

 

Ignora-se a data da edificação da primeira igreja, anterior a 1641, humilde e recoberta de palha, fora da cidade, de frente para a praia. Foi profanado em 1641 pelos holandeses de Lichthardt, que aportaram as suas 18 naus, fazendo-as ancorar na enseada defronte da ermida, atirando-se ao saque da cidade indefesa. Na pilhagem cometeram o sacrilégio de despedaçar a imagem de Nossa Senhora do Desterro, orago da ermida. Ficou muito tempo em terra, sem aparecer quem se animasse a reedificá-la, quando, em 1832, apareceu José de Lê, um preto que morava perto, muito devoto de São José, o qual deu início à construção do novo templo.

 

Passou por inúmeras dificuldades, porém não se deixou abater pelo desânimo. Auxiliado por outros devotos, trabalhou muito, poupando o que podia, indo ao mato cortar madeira, buscar barro, pedra e cal, até que a morte o surpreendeu. Foi substituído por José Antônio Furtado do Queixo, que pôde concluí-la em 1863. Com a morte de Furtado, a Irmandade de Nossa Senhora do Desterro entregou-se ao mais criminoso desleixo, sendo roubados e perdidos os objetos de prata e ouro, que formavam o mais precioso acervo de São Luís. Devido ao perigo que as ruínas ofereciam, a Câmara Municipal, em 1865, roga ao Bispo autorização para fazer naquele local uma praça e um mercado de peixe. César Marques protesta, rememorando o valor histórico do templo e insistiu tanto na sua defesa, que o assunto foi estudado e, logo depois, uma comissão foi organizada para empreender a reedificação da igreja. Em 1954, estando esse tradicional templo em estado precário de conservação, a diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional toma a iniciativa de realizar obras de consolidação e preservação, mandando proceder à restauração.

 

 

 

CAPELA DAS LARANJEIRAS


Está localizada à Rua Grande, Centro – São Luis

Também conhecida como Quinta do Barão, é um anexo do Colégio Maranhense (Marista). Teve sua construção autorizada a 17 de abril de 1811. Possui uma varanda com entrada lateral e sacristia. Próximo dali, o belo portão da Quinta das Laranjeiras, onde se vêem as armas do Barão de Bajé.

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 4.7/5 (300 votos)




ONLINE
1